Ricardo Freitas - Site

Receba novidades por e-mail.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

HDMI duvidas sobre versão 2.0

Muito se fala sobre cabo HDMI e suas versões ...

Muitas pessoas julgam um cabo HDMI e suas versões, perguntando se o cabo está na versão 2.0. Você sabe se esta é a última versão? Se um cabo for lançado hoje e amanhã sair uma versão acima, tenho que jogar ele fora e fabricar outro?

A verdade é que o consumidor pouco se informa a respeito da tecnologia, e infelizmente, muitas revendas caem no mesmo defeito.

O consumidor espera que o integrador ou revenda, traga a informação correta, porém se esse não se preocupa com o conteúdo e só absorve o que vê em campanhas de propaganda, o mercado não se organiza e continuamos sempre com a mesma falta de informação.
Por falar nisso, o seu cabo HDMI é 2,0?
O que as pessoas precisam entender antes de mais nada, que cabo é cabo, e é um elemento passivo, ou seja ele é construído para trafegar dados, o que muda de versão são os equipamentos através do chip HDMI. 
Mas devemos atentar e nos preocupar é com a construção dos cabos, que para ser um bom condutor, precisa de matéria prima de primeira qualidade, porem muitos fabricantes na ânsia de ter mais lucro, utilizam materiais mais baratos e mais vagabundos, e no caso do cabo HDMI que trafega dados, dependendo da quantidade de informação que for enviado, ele vai bloquear o sinal, como uma via que só dá passagem para um carro, dois não passam.

Histórico da tecnologia HDMI

A tecnologia HDMI surgiu no fim de 2002, num consórcio formado pelas principais empresas de AV (Hitachi, Panasonic, Philips, Silicon Image, Sony, Thomson, RCA and Toshiba), uma empresa de criptografia e segurança (LLC) e apoiado pelos principais estúdios de cinema e redes de TV a pagamento (Fox, Universal, Warner Bros, Disney, DirecTV, EchoStar(Dish Network) and CableLabs).
Além da melhoria técnica do áudio e vídeo digital, o objetivo era proteger esse conteúdo para não sofrer cópias piratas. Esse foi o grande fator que fez a tecnologia decolar.

HDMI não são apenas cabos

As pessoas quando escutam HDMI imaginam sempre o cabo. Talvez por que este seja o único elo visível do sistema. Porém o HDMI tem uma parte igualmente importante que são os chips. Eles entendem e convertem os sinais que passam pelos cabos. Um depende do outro.
Num primeiro momento, os laboratórios falaram que somente cabos HDMI de 7 mts funcionavam. Na verdade eles estavam considerando que apenas cabos nessa medida conseguiam trafegar o máximo de dados possível, 102 Gbps.
Contudo, se eu quisesse enviar um sinal em 1080p, de um BluRay, precisaria apenas de cerca de 5 Gbps. Os testes de “olho padrão” nos ajudaram a compreender essa possibilidade, conseguimos chegar as metragens de 20 mts. Essa medida não caiu do céu, mas foi conseguida através de testes, considerando uma margem de segurança.
A fórmula de construção do cabo é simples. Mas a matéria prima e o cuidado na construção, criavam diferenças no resultado final.
Um cabo que funcionava para DVD, nem sempre funcionava para bluray, ou para jogos de vídeo game em HD. O consumidor estava ficando perdido, sem ter a quem recorrer. Devia acreditar no que estava escrito na embalagem, e muitas vezes era enganado.
Um cabo na época da versão 1.0, pode muito bem ser usado hoje, desde que tenha sido construído para suportar 10,2 Gbps.
Infelizmente, maus fornecedores, usam essa estratégia de enumerar as versões para iludir o consumidor.
As indústrias são os principais culpados por essa confusão, seguidos pelos integradores e revendas que não se empenharam em conhecer bem as especificações.
Compre cabos HDMI de qualidade, baseado no histórico do fabricante, matéria prima utilizada, suporte e confiabilidade. Esqueça o número ou a versão.

Se você gostou desta matéria, não deixe de comentar e compartilhar com seus contatos, e se quiser saber mais sobre este assunto, me envie um e-mail no endereço abaixo.

Seguidores

Pesquisar este blog