Ricardo Freitas - Site

Receba novidades por e-mail.

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Como protejer seus equipamentos eletrônicos

Gastei uma fortuna para montar minha sala de cinema, aí vem uma simples tempestade, acaba a luz e quando voltou metade dos equipamentos não funcionaram.




Ainda bem que estavam na garantia, mas sabe o que o fabricante falou quando levei os equipamentos para conserto??


A garantia não cobre defeitos causados, somente defeitos de fabricação.

O jeito foi aceitar o conselho do velho Pagé, "Senta e chora"




Sempre me reuno com os integradores e eles sempre me falam que o primeiro item que o cliente corta do orçamento é o condicionador de tensão, e vocês sabem porque eles cortam isso do orçamento??


Simplesmente por falta de conhecimento

Se fosse só para cortar despesas a primeira coisa que cortaríamos seriam os planos de saúde, ninguém faz plano de saude quando esta doente.



Hoje, vou dar quatro bons motivos para incluir em seus projetos os condicionadores de Tensão, normalmente classificado como dispensáveis. 


Você sabe o que é Distúrbio elétrico?

Distúrbio elétrico é todo e qualquer tipo de anomalia que pode ocorrer numa rede elétrica, tanto da concessionária de energia quanto da instalação elétrica interna.



1 - Ausência de Energia. (black outs, apagões, brownouts):



Interrupção involuntária ou não do suprimento de energia elétrica devido a sobre cargas no sistema podendo ou não ser localizadas; acidentes que envolvam equipamentos de distribuição de energia; manobra da concessionária, planejadas ou acidentais; racionamentos; curtos circuitos na rede de distribuição; chaveamento não planejado de grandes cargas, tempestades elétricas, etc.

Mesmo os de curtíssima duração (brownouts) causam a perda de dados nos sistemas baseados em microprocessadores, hoje cada vez mais utilizados em toda gama de equipamentos, perda de programação em sistemas automatizados, provocam insegurança, diminuem o conforto, interrompe atividades.



2- Oscilações transitórias:


São surtos de tensão extremamente rápidos, com duração de poucos mili-segundos, caracterizados pelos altos valores na taxa de variação, as vezes superiores a 6000 volts e potencial de energia em transito. São ocasionados por descargas atmosféricas, raios, reenergização da rede de distribuição, curtos circuitos, manobras no circuito de distribuição, chaveamento de grandes cargas. É a mais danosa das anomalias. Quanto mais complexo for o equipamento em desempenho e funcionamento, mas sensível será a esse tipo de distúrbio, sendo que dificilmente deixara de apresentar seqüelas em seu funcionamento, muitas vezes irreparáveis. Normalmente ocorre a ruptura da isolação elétrica nos componentes envolvidos, carbonizando-os ou mesmo provocando sua explosão, a destruição de microprocessadores e dispositivos a base de silício é praticamente certa. Freqüentemente provocam minúsculos curtos circuitos entre as trilhas das placas de circuito impresso, o que impossibilita na prática a sua manutenção, pois o mesmo passa a apresentar disfunções aleatórias, comprometendo de tal forma o desempenho que provoca muitas vezes seu sucateamento




3 - Sobre e subtensão:


Com menor taxa de variação (variação de valor em curtíssimo espaço de tempo), que os transientes, estes eventos têm maior duração, variando de 15 mili-segundos a vários minutos, ocasionam diferenciais na tensão da rede elétrica superiores a 15%, são os mais comuns e de fácil percepção. Ocorrem devido a circuitos sobrecarregados, horários de pico de consumo, instalações em final de linha, mudança de consumo em cargas elevadas, mal dimensionamento dos circuitos alimentadores de uma determinada instalação elétrica, curtos circuitos entre as linhas de distribuição de alta e baixa, abertura anormal do neutro. Neste evento os perigos são; danos graves devido a presença de níveis de tensão às quais os equipamentos não foram projetados, rompimento da isolação de vários componentes, diminuição da vida útil de vários equipamentos. Quando constantes e de baixa intensidade causam fadiga precoce de componentes eletrônicos.



4 - Ruídos e EMI / RFI:

EMI, Interferência Eletromagnética, e RFI, Interferência de Radio Freqüência, são pulsos de tensão ou corrente de alta freqüência, de kilo a megahertz, presentes nas instalações elétricas, injetadas por indução eletromagnética provocada por equipamentos geradores de harmônicas e ruídos eletromagnéticos de alta freqüência, normalmente são de origem interna a instalação elétrica pois esses equipamentos encontram-se nela instalados. O exemplo mais comum é; chuviscos e interferências no som e imagem de uma TV, quando é ligado um liquidificador numa tomada que pertença ao mesmo circuito elétrico. Também são propagados pelo ar, gerados por fontes transmissoras de ondas eletromagnéticas, estações de radio, de televisão, de radar, de telefonia, de dados, e como tamanho não é documento, controles remotos de motores a pilha de brinquedos são grandes geradores de RFI. Exemplo de alguns equipamentos domésticos geradores de EMI / RFI: forno de micro-ondas, ventiladores, liquidificadores, computadores, aspirador de pó, condicionadores de ar, reatores convencionais e eletrônicos de lâmpadas fluorescentes, (mesmo as compactas). Não oferecem perigo de dano aos equipamentos, todavia podem arruinar a qualidade de reprodução de qualquer equipamento de áudio ou vídeo, independente da sua qualidade e performance ou dos cuidados da sua instalação.





Existem hoje no mercado uma linha de produtos, destinados a oferecer a proteção e filtragem de energia, que seu sistema de áudio e vídeo tanto necessita. Muitos fabricantes tem excelentes produtos, mas muito cuidado para não confundir filtros de linha com condicionadores de tensão, os filtros só filtram ruídos de EMI e RFI e costumam ser bem mais baratos. Na dúvida sempre consultem um profissional de Audio e Video.


E se você quiser saber mais sobre Distúrbio Elétrico, me envie uma mensagem no link abaixo ou coloque seu comentário.


Seguidores

Pesquisar este blog